O Poder dos Quietos – Introvertidos, como ser feliz em um mundo de extrovertidos

O poder dos quietos. Livro de Susan Cain.

Albert Einstein, Bill Gates e Mahatma Gandhi são alguns exemplos de introvertidos que tiveram sucesso em suas áreas. Isso significa que gostavam de ficar sozinhos, pensavam bastante e não precisavam ser super falantes para fazer coisas incríveis na vida.

Sabia que entre 30% e 50% das pessoas no mundo são introvertidas? Então, mesmo que você não seja uma, provavelmente conhece alguém que seja.

É importante esclarecer que ser introvertido não é a mesma coisa que ser tímido. Os tímidos têm medo de serem julgados, enquanto os introvertidos preferem trabalhar sozinhos, ficar em lugares calmos e pensar mais do que falar.

Se você é, assim como eu, uma pessoa introvertida, talvez seja libertador saber para você quanto foi para mim que não é necessário mudar sua personalidade para se encaixar na sociedade. Que você pode ter sucesso por causa da introversão e não apesar dela.

As observações que faço a seguir foram inspiradas no livro “O poder dos quietos de Susan Cain. É um livro revolucionário que desafia a visão tradicional do sucesso e da liderança, dando destaque ao valor dos introvertidos em um mundo muitas vezes dominado pela extroversão.

Capa do livro O Poder dos Quietos de Susan Cain.

Ao longo do livro, Cain apresenta pesquisas, estudos de caso e histórias inspiradoras para ilustrar como os introvertidos não só têm um papel importante, mas também como podem prosperar e liderar de maneiras distintas. Além disso, ela oferece insights sobre como os ambientes de trabalho, educação e sociedade podem ser ajustados para melhor acomodar as necessidades e contribuições dos introvertidos.

4 passos para liberar seu potencial introvertido

1- Introvertidos: valorizem-se

Às vezes, parece que todo mundo gosta mais de pessoas que falam muito, têm muitos amigos e são super populares. Isso faz com que quem é mais quietinho se sinta meio sem lugar. Ser introvertido não é uma falha de personalidade ou uma fraqueza. Mas sabia que ser assim não é ruim?

Os introvertidos tem muitas vantagens. Eles são muito bons em se concentrar em uma coisa por muito tempo e em entender tudo direitinho. Gostam de ouvir bem e pensar antes de fazer alguma coisa. Por isso, são ótimos em trabalhos que precisam de muita atenção e cuidado.

Pesquisas interessantes da Wharton School descobriram que que líderes introvertidos muitas vezes têm mais sucesso do que os extrovertidos, porque deixam as pessoas ao redor contribuírem com suas ideias. Em contrapartida, um líder extrovertido pode ficar tão empolgado que irá colocar sua própria marca nelas, e as ideias de outras pessoas não surgem tão facilmente.

E nas escolas, embora os professores muitas vezes favoreçam alunos extrovertidos, os introvertidos são os que obtêm notas melhores e demonstram maior conhecimento.

Desconstruir a crença de que ser introvertido é uma falha e na verdade é uma característica valiosa é o primeiro passo para liberar todo o seu potencial.

O poder dos quietos. Livro de Susan Cain.

2- Introvertidos: aceitem-se

Para aproveitar as vantagens da introversão, é importante não abrir mão de quem você é. Frequentemente, os introvertidos enfrentam pressões da família, amigos ou da sociedade, declarando que você só será bem sucedido se tiver um perfil extrovertido. E isso definitivamente não é verdade.

Em vez de tentar se encaixar em padrões dos extrovertidos, aceite sua personalidade. Dessa maneira, será mais fácil encontrar realização pessoal, sendo verdadeiro com você. 

O poder dos quietos. Livro de Susan Cain.

3- Introvertidos: estabeleçam limites

Ter momentos a sós é crucial para os introvertidos. É necessário entender o que funciona para você, compreender e respeitar suas próprias necessidades de tempo sozinho e tirar proveito desse aspecto da sua personalidade. Não se sinta culpado em ser você mesmo. 

Se você recebe convites para eventos sociais que parecem avassaladores, é perfeitamente aceitável dizer não quando necessário. Priorizar momentos de recarga, seja desfrutando de tempo sozinho em casa ou lendo um livro é importante para recarregar suas energias. É fundamental descobrir esse refúgio de tranquilidade, pois é lá que você terá a oportunidade de se reconectar consigo mesmo.

Ao estabelecer esses limites, os introvertidos podem criar um equilíbrio entre suas necessidades individuais e as demandas do mundo exterior. Isso não só contribui para um maior bem-estar emocional, mas também permite que alcancem o sucesso sem comprometer quem são verdadeiramente. 

4- Introvertidos: encontrem seu ponto de equilíbrio

Carl Jung introduziu e popularizou os conceitos de “introvertido” e “extrovertido”. Segundo Jung, esses termos descrevem que ambos percebem, agem e sentem de formas diferentes o ambiente ao seu redor. Também disse que não existe uma pessoa totalmente introvertida ou extrovertida. Carregamos mais traços de um ou de outro.

Frase de Carl Gustav Jung - "“Sua visão se tornará clara apenas quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro, acorda.”

Estudos científicos apontam que há variações na atividade cerebral entre introvertidos e extrovertidos. Os introvertidos tendem a ser mais sensíveis à dopamina, um neurotransmissor associado à sensação de recompensa e prazer, o que impacta sua resposta a estímulos sociais. Em outras palavras, introvertidos podem experimentar uma reação mais intensa em interações sociais. Por outro lado, os extrovertidos parecem ter uma resposta mais atenuada à dopamina, os levando a buscar mais estímulos sociais para alcançar a mesma sensação de recompensa e prazer.

O mundo precisa de introvertidos e extrovertidos. O mais importante é saber adaptar a sua própria personalidade ao mundo, encontrando níveis certos de estímulos, encontrando equilíbrio correto ao seu tipo de personalidade. 

Os introvertidos precisam encontrar uma forma eficiente de comunicar suas ideias, não precisam imitar os extrovertidos. Podem usar seu poder silencioso. Escutando atentamente, fazendo perguntas, se planejando. 

Para potencializar os talentos sendo um introvertido, é importante se colocar na zona de estimulação que é certa para você. 

Tudo bem se desconectar e entrar um pouco em contato consigo mesmo, mas lembre-se de quando for possível, mostrar ao mundo todo o seu potencial e do que você é capaz.

Você também poderá gostar de: O Poder do Agora: descubra 8 lições que podem mudar sua vida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *